09/04/2008

MACONHA: Minha Opinião!

O direito de plena liberdade é um argumento que os defensores da liberação da maconha tentam fazer prevalecer a todo custo. Uma falácia. Um dos grandes erros daqueles que supervalorizam a liberdade individual é esquecerem-se de tal direito não pode suplantar o direito de vida em sociedade. O direito à liberdade deve ser considerado e analisado sob os meandros da vida em comunidade.
O fato de já existirem substâncias com conhecidos efeitos prejudiciais há muito tempo legalizadas, como o álcool e o tabaco, não justifica que se deva acrescentar outras também com reconhecidos efeitos prejudiciais. Ao contrário, deveriam ser concentrados esforços na direção de uma diminuição do uso tanto do álcool como do tabaco.
Com a liberação, o controle das drogas - é verdade - sairia do domínio dos que vivem à margem da lei. mas passaria imediatamente para o domínio das indústrias. Com isso, todo um poder econômico, agora oficial, usaria a sua reconhecida competência para ampliar o mercado do uso de drogas; a propaganda, explícita ou não, seria ativada com essa finalidade. A legalização, portanto, traria apenas a substituição de um poder econômico por outro. A idéia de liberar as drogas é antes uma resposta de desespero à situação atual do que uma solução para o problema. Viria, se efetivada, ampliar muito os problemas já existentes. Não existem, na realidade, provas científicas aceitáveis que demonstrem que a legalização do uso das drogas não levaria a um aumento do seu uso. Essa premissa é por demais utópica para que se possa arriscar uma epidemia do uso de drogas, não só incontrolável, como de conseqüências imprevisíveis. Provavelmente, aos atuais problemas conseqüentes ao uso abusivo do álcool se somariam os causados pelo aumento descontrolado do consumo das drogas que fossem legalizadas. A liberação, e mesmo a descriminalização, envolvem riscos muito grandes para que a sociedade possa assumi-las numa postura “para ver no que dá” .
Tenho que confessar que eu não sou a favor da maconha. Liberar a droga ou não é algo que todo mundo quer discutir. E muitos fazem isso comparando a maconha ao cigarro. O problema é mais complicado do que parece à primeira vista. A maconha afeta o cérebro do usuário de maneira diferente do que faz o cigarro comum de tabaco. Enquanto o cigarro (nicotina) é um estimulante, a maconha é depressor do sistema nervoso. Por isso quem fuma fica meio lesado. Prova é que as drogas atuam no cérebro afetando a atividade mental, sendo por essa razão denominadas psicoativas. Ela diminuem a atividade mental, diminuem a atenção, a concentração, a tensão emocional e a capacidade intelectual e, ainda, alteram a percepção. TÔ FORA !!!

6 comentários:

ana disse...

Não concordo totalmente com vc. Parcialmente sim, que as drogas tanto as legais quando as ilegais , não trazem benefícil algum aos seus usuários, mas se vc parar pra pensar, e ver que com a tal legalização das drogas, e seu devido controle econômico nas mãos do Estado, desistimularia a violência e a ilicitude, ou seja, faria diminuir outras contravenções, como o tráfico de armas,afinal, o que financia o armamento do tráfico ? As drogas!Sendo legalizada ! Como eles iriam concorrer ? é uma boa saída para o começo do fim da violência urbana no Brasil...

WILLIAM (Penso, Logo Escrevo...) disse...

Valeu Pelo Comentário Ana.
Apesar de divergirmos sobre a solução do assunto o foco é o mesmo.
Mas como disse, nada me garante que o Governo terá de verdade controle da situação,e passará para a iniciativa privada para fazê-lo. (como é de costume)
Aí é que mora o perigo...

Shiva disse...

Isto é tudo sobre dinheiro?!
Não te esqueças que cada um é livre de escolher (ou pelo menos devia) e a escolha de consumir marijuana, ou outra droga, diz respeito apenas ao próprio usuário.
E será que o direito de liberdade individual, ou seja, o de consumir cannabis, irá impossibilitar a vida em sociedade ou em comunidade?! Não me parece.
Qualquer usuário de cannabis que conheço tem a sua vida social normal, assim como a minha e a tua(penso eu).
Se você acha que o uso de cannabis pode levar uma pessoa a roubar e matar, também não me parece. Fuma e verás porque digo isto.
E quando dizes que não podemos comparar cannabis a outras drogos, nomeadamente as legalizadas, tens toda a razão, assim como não podes rotular a erva como 'depressora'. A maneira como a marijuana actua no cerebro é muito mais complexa que isso, varia de pessoa para pessoa, e não diminui a actividade mental, apena altera.
Um abraço, e pensa nisto.

(Desculpa pelo portugûes de Portugal)

wesley disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

entao galera , a Maconha é tudo isso que vcs tão pensando sim , mas ela tbem tem seu lado positivo , que muitos cientistas ou médicos concordam , ela é um otimo remédio pra pressao alta , ela combate o cancer e etc , e eu axo que ela devia ser legalizada sim , se ela prejudica tanto ,quem ta prejudicando é a pessoa que fuma , nao vcs que nao usam e julgam , para gente , isso é feio .
E é bom que legaliza ,pq os policiais vao ter mais tempo pra caça bandido e assasino que estam solto por aai , e dexa os usuarios quieto kkkk abço galera

Renato disse...

A questão da legalização é complexa, mas acho que é hora de discutir isso.Como disse o William temos de tomar cuidado com experiência de "pagar pra ver".Há outro vies da questão:A nossa sociedade já pagou pra ver. Pagou pra ver aqueles que trabalham pelo tráfico de drogas.Penso que o problema da droga é um problema de saúde pública e não de polícia,cada qual sendo maior de idade tem acesso as drogas lícitas - que na minha opnião são problema de saúde pública.Posto isto pergunto: Qual controle há no acesso as drogas ilícitas? qual impostos pagam os traficantes?Não há nenhum controle e logicamente traficantes não pagam impostos, mas a sociedade paga para tentar controlar o "império financeiro" formado no submundo do tráfico, que juntamente com este crime aduz a toda nova espécie penal que a ele esta associado.Portanto penso que a discriminalização com controle integrado pelo ministério da saúde, receita federal e segurança pública minimizariam a violência, poderiam gerar renda - pois maconha não é usada somente para fumar - e por fim, poderia trazer muitos benefícios para sociedade inclusive diminuindo a violência, pois diminuiria o poder econômico dos traficantes e aumentaria este na sociedade.